Estágio supervisionado melhora formação de estudantes de odontologia que atuam no Programa Saúde da Família




 
 

Estudo mostra que dificuldades relacionadas ao mercado de trabalho podem estar sendo decisivas junto aos acadêmicos que trabalham no PSF. Técnica foi citada como a principal característica necessária a um dentista para atuar no programa.
O Programa Saúde da Família (PSF) surgiu como uma estratégia do Governo Federal de buscar o aprimoramento do funcionamento do SUS no contexto da elaboração e da construção de novas práticas de saúde. Mais que isso, o projeto busca romper com o modelo hegemônico de atenção à saúde, que se mostrou incapaz de atender de forma eficiente às demandas da população. Neste contexto, se inserem os profissionais de odontologia, que devem cultivar uma relação com a comunidade, baseada na atenção, na confiança, no respeito e no cuidado. Com o intuito de verificar se isso, de fato, vem ocorrendo, Heriberto Sanchez e equipe da Universidade Federal de Minas Gerais avaliaram os desejos, percepções e preparo de acadêmicos de odontologia, em relação aos princípios do PSF, de duas diferentes Faculdades de Odontologia.
A pesquisa foi realizada entre os estudantes do último período das duas faculdades, totalizando 82 entrevistados, do primeiro semestre de 2005. De acordo com artigo publicado na edição de março/abril da revista Ciência & Saúde Coletiva, "buscou-se ainda analisar se as faculdades tiveram potencial transformador sobre os acadêmicos, graduando-os com compromisso social e sensibilidade humanitária, considerados importantes para aqueles que querem trabalhar no Programa Saúde da Família".
Os resultados mostram que prevalece entre os alunos o desejo de trabalhar no Programa Saúde da Família por razões ligadas às dificuldades do mercado de trabalho e eles citaram freqüentemente a técnica como a principal característica necessária a um dentista para que o mesmo atue no PSF. Por outro lado, segundos os especialistas, "as entrevistas apontaram uma provável influência do Estágio Supervisionado, ministrado sob a forma de internato rural, sobre a formação dos estudantes, possivelmente habilitando-os melhor para o trabalho".
Dessa forma, os pesquisadores sugerem que instituições de ensino superior, na área da saúde e em especial aquelas cujos profissionais são diretamente envolvidos nas equipes do PSF, agreguem em seus currículos iniciativas semelhantes ao Estágio Supervisionado. "O estágio despertou o aluno para questões sociais que permeiam a odontologia e o incentivou a ter uma consciência aumentada em relação aos aspectos políticos e de cidadania, que envolvem a área. Essa visão ampliada é considerada muito importante entre aqueles que pretendem trabalhar no PSF", afirmam no artigo.
Agência Notisa


Comente:

Nenhum comentário