Problemas odontológicos podem reduzir em 21% o rendimento do jogador




Problemas odontológicos podem reduzir em 21% o rendimento do jogador


Má-oclusão da boca dificulta alimentação e focos de infecção atrapalham a mastigação. Respiração bucal compromete desempenho geral

O rendimento do atleta pode diminuir em até 21% devido a causas relacionadas aos dentes. Entre elas, a má-oclusão, que provoca problemas de mastigação, dificulta o aproveitamento da energia proveniente de sua alimentação; e focos de infecção, que causam danos à mastigação e à respiração. Assim, o esforço extra que o atleta deverá dispor para respirar será compensado pela boca - e isso irá comprometer seu desempenho de uma maneira geral.

Embora ainda não seja reconhecida como especialidade pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), a Odontologia Desportiva pode tratar todas essas disfunções, transmitindo mais segurança, habilidade e conforto aos esportistas. Este campo de conhecimento estuda o tratamento e, principalmente, a prevenção de traumatismos orofaciais, doenças orais relacionadas e suas manifestações.

Cuidar dos dentes traz benefícios para o organismo em geral. Segundo o consultor em Odontologia Esportiva da Associação Brasileira de Odontologia (ABO) e cirurgião-dentista da CBF, Afonso Rocha, um foco infeccioso na boca, por exemplo, representa o comprometimento da saúde dos dentes e de outros órgãos do corpo, espalhando-se através da corrente sangüínea. "Isto agrava as doenças cardíacas e lesões das articulações dos joelhos e dos ombros e dificulta também a recuperação das lesões musculares, tornando o tratamento mais longo e com pouca eficiência", explica Rocha.

A Odontologia Desportiva envolve desde o primeiro atendimento no local do acidente até o tratamento dentário e suas conseqüências. "Geralmente os atletas, profissionais e amadores, são tratados de forma convencional, o que é um grande erro, porque o tratamento de um esportista, sobretudo daquele que compete, deve ser diferente do de uma pessoa comum", afirma o especialista em Saúde Bucal Coletiva e também consultor de Odontologia Esportiva da ABO, Hilton José Gurgel Rodrigues.

Atuação multidisciplinar

Nesta área, o cirurgião-dentista trabalha em conjunto com a Medicina Esportiva, Fisioterapia, Fisiologia, Educação Física, Nutrição, Bioquímica, Fonoaudiologia, Psicologia Esportiva e outras áreas ligadas ao esporte. Seu principal objetivo é garantir uma excelente saúde bucal ao desportista, detectando fatores prejudiciais a ele, como a respiração bucal e o mau-posicionamento dos dentes, e administrando medicamentos isentos de substâncias que possam causar doping positivo.

Projeto de lei

A ABO é idealizadora de um projeto de lei que obriga a presença de um cirurgião-dentista especializado em Odontologia Esportiva em competições. O PL 5391/2005 foi encampado e apresentado por Gilmar Machado (PT-MG) na Câmara dos Deputados. Segundo o presidente nacional da ABO, Norberto Francisco Lubiana, há motivos de sobra para agilizar o trâmite.

"Estamos às vésperas de uma Copa do Mundo e no próximo ano serão realizados os Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro. Eventos deste porte atraem a atenção e estimulam a prática esportiva no País inteiro. É de suma importância que amadores, categorias de base e atletas profissionais pratiquem sua modalidade com toda a segurança e usufruam os benefícios que a Odontologia pode proporcionar ao seu desempenho", declara o presidente da ABO.

O que é a ABO Nacional

A ABO Nacional é entidade sem fins lucrativos, dedicada à defesa da classe odontológica e da saúde bucal da população brasileira. Está representada nas 27 unidades federativas através de Seções Estaduais e em 292 municípios, através de Regionais. Ao todo, a Rede ABO totaliza mais de 1.400 consultórios dentários em suas 82 Escolas de Aperfeiçoamento Profissional (EAPs), que oferecem atendimento odontológico gratuito ou subsidiado à população, e ministram 70% dos cursos de especialização em Odontologia registrados no Conselho Federal de Odontologia. Faz parte do Fórum Permanente em Defesa do Empreendedor e do Fórum Permanente em Defesa do Setor Saúde. É filiada à Federação Dentária Internacional (FDI), na qual como Membro Regular tem a maior delegação oficial representando o Brasil; e à Federação Odontológica Latino-americana (Fola), como país-membro junto aos 20 países do continente.

Edita Comunicação Integrada


Comente:

Nenhum comentário