Saiba mais sobre a Raspagem Radicular




http://melhorcomsaude.com/wp-content/uploads/2014/04/Gingivitis1-500x3251.jpg

Ir ao dentista periodicamente pode evitar diversos problemas periodontais e gengivais, além de ser imprescindível para a qualidade da saúde bucal. De acordo com os dentistas, o tártaro é uma das incidências mais comuns, afetando a maioria das pessoas em diversos momentos da vida.

O excesso de tártaros na raiz dos dentes pode causar inflamação intensa na gengiva, além de comprometer a estrutura óssea. Para removê-los, é necessário realizar um procedimento chamado raspagem radicular, que consiste em raspar cuidadosamente a raiz dos dentes, reduzindo a inflamação e saliências prejudiciais à saúde bucal.

Como é feita a raspagem radicular?

A raspagem radicular é feita manualmente com o auxílio de instrumentos ultrasônicos que irão remover os tártaros e a placa bacteriana da superfície dos dentes, estendendo-se até a linha da gengiva. O procedimento alisará áreas irregulares de modo a impedir o crescimento da placa bacteriana.

A raspagem radicular é dolorosa?

O procedimento só provocará dor em casos de o tecido gengival estar muito sensível e inflamado, sendo necessária a administração de anestesia. Em alguns casos, é necessário fazer a raspagem em sessões, de acordo com o grau da acumulação dos tártaros. Pode ser necessária a utilização de creme dental dessensibilizante antes e após o procedimento.

O que acontece se eu não fizer a raspagem radicular?

Quanto mais o procedimento for adiado, maior será o acúmulo de placa bacteriana e tártaro, resultando em um quadro grave de inflamação gengival. Neste caso, pode ocorrer sangramento durante a escovação e dores em diversas áreas da gengiva. Além disso, os dentes estarão mais vulneráveis a problemas sérios, como cáries e canal.

Como sei que preciso realizar a raspagem?

O surgimento de manchas amareladas junto à raiz do dente é um sinal de que é necessário fazer a remoção dos tártaros. Porém, apenas um dentista poderá fazer a avaliação completa e dizer qual o procedimento mais indicado, afinal existem casos isolados que necessitam ser tratados de forma diferente.


Comente:

Nenhum comentário