Saiba mais sobre a Doença Periodontal





É uma doença de etiologia infecciosa


O início e a progressão das doenças periodontais sofrem influência de uma série de fatores locais e sistêmicos.  Os fatores locais normalmente estão relacionados ao acúmulo de placa bacteriana e os fatores sistêmicos podem mostrar uma relação mais ou menos evidente com a doença periodontal, uma vez que afetam diferentes células e tecidos, aumentando o risco de desenvolvimento da doença.
São fatores modificadores locais da doença periodontal:

• Oclusão traumatogênica;

• Fatores de retenção de placa, como restaurações defeituosas ou próteses mal adaptadas ou com sobrecontorno;

• Apinhamentos dentários e mau posicionamento dentário;

• Proximidade radicular e septo ósseo interdental delgado;

• Impacção alimentar;

• Fumo (ação local e sistêmica);

• Alterações patológicas do fluxo salivar;

• Presença de doença periodontal preexistente.

São fatores modificadores sistêmicos da doença periodontal:

• Fatores genéticos, relacionados ao processo inflamatório;

• Diabetes mellitus;

• Síndromes como a Síndrome Papillon-Lefévre, Síndrome Chédiak-Higashi, Neutropenia Cíclica ou Crônica, Síndrome da Deficiência de Adesão Leucocitária e Síndrome de Down;

• Osteoporose;

• Estresse;

• Condições sistêmicas que requerem uso de drogas que podem ser um risco a periodontite devido ao acúmulo de placa bacteriana como resultado de hiperplasias gengivais; 

• Quadros patológicos que diminuem a resposta imune, como a Síndrome da Imunodeficiência Humana (HIV).

Numerosos estudos, que examinam os múltiplos marcadores e fatores potenciais de risco, têm demonstrado que a progressão da doença periodontal também pode se mostrar aumentada por certos fatores determinantes como: sexo, raça negra ou filipina, idade avançada e nível socioeconômico baixo.

A visão atual da doença periodontal pode ser assim resumida: é uma doença de etiologia infecciosa, que se caracteriza por ser uma inflamação crônica inespecífica; é uma doença relacionada ao indivíduo; somente alguns apresentam destruição avançada; a progessão provavelmente é contínua, com surtos agudos destrutivos intercalados. Observa-se que nem sempre a manifestação clínica é proporcional à gravidade do quadro de destruição óssea e perda de inserção encontrado.

Dessa forma, podemos concluir que a destruição dos tecidos periodontais pode ocorrer pela ação de diversos fatores, os quais irão influenciar na formação da microbiota patogênica ou na própria resposta do hospedeiro.


Comente:

Nenhum comentário