Desvende curiosidades dos dentes




Entre tantas informações importantes sobre saúde bucal, existem algumas que são bastante curiosas e podem influenciar a vida e os hábitos.

Saúde bucal vem da época das múmias

Para começar, é importante saber que preocupação com a saúde bucal é antiga. Arqueólogos encontraram uma tumba egípcia de cinco mil anos com um objeto que eles acreditam ser a mais antiga escova de dente já registrada. O instrumento era basicamente um ramo de planta com a extremidade toda desfiada fazendo com que suas fibras parecessem cerdas.

Quase 400 litros de saliva protegem a boca

378,5 litros é a quantidade de saliva que um ser humano usa em média para limpar os dentes durante toda a vida. Segundo Ana Paula Pasqualin Tokunaga, cirurgiã-dentista e autora do blog Medo de Dentista, a saliva tem várias funções, entre elas: ação bactericida e capacidade de promover a lubrificação da mucosa da boca, da faringe e das vias digestivas superiores. "Ela ainda limpa e protege a boca, dificultando que as bactérias se fixem nos dentes, ajuda na imunidade, pois possui anticorpos que nos protegem contra doenças, diminui a incidência de cáries e atua na preparação do bolo alimentar". Para mantê-la em um bom fluxo, é preciso ingerir bastante água.

Ir ao dentista evita ataque cardíaco

Estudos provaram que uma pessoa que frequenta o consultório odontológico ao menos uma vez a cada dois anos é 24% menos propensa a ter um ataque cardíaco. Isso porque as bactérias bucais podem ser transportadas, via corrente sanguínea, para outros lugares do nosso organismo. "Pessoas que possuem doenças cardíacas e não tratam infecções bucais têm mais risco de desenvolver uma infecção grave no coração, correndo o risco de sofrer um infarto. Cuidar dos dentes e da gengiva não é apenas uma questão estética, interfere diretamente na saúde do organismo", diz Ana Paula.

A cárie é a 2° doença mais comum do mundo

Isso mesmo, a cárie só perde para o resfriado no ranking de problemas de saúde mais comuns entre as pessoas. Apesar disso, levantamentos nacionais recentes feitos pelo Ministério da Saúde mostram que a incidência da doença no Brasil vem diminuindo a cada ano. Entre 2003 e 2010 houve um aumento no número de pessoas que nunca tiveram cáries no país, principalmente entre crianças e jovens. Em pessoas até cinco anos, esse número aumentou de 40,63% para 46,6%. Até os doze anos de 31,08% para 43,5% e de 15 a 19 anos de 11,06% para 23,09%.

Cárie pode matar

Acredite, a cárie pode matar. Mas, segundo a dentista, não de forma direta. "Considerando que ela representa um foco de infecção e infecções podem ser disseminadas via corrente sanguínea para qualquer lugar do nosso organismo, não é prudente manter cáries sem tratamento".

O dente é a parte mais dura do corpo humano

Na verdade não é o dente, e sim seu tecido mais externo, o esmalte. "O esmalte é um tecido altamente mineralizado, o que explica sua dureza", diz Ana Paula.

Dietas a base de carne e alimentos fibrosos não prejudicam a primeira dentição

Pesquisas feitas com povos indígenas da Amazônia observaram que os bebês são amamentados exclusivamente no seio até a erupção dos primeiros dentes. Depois disso, é introduzida na dieta carne de caça, farinha de mandioca, frutos silvestres e alimentos secos, duros e fibrosos. Analisando as arcadas dentárias dos mais velhos, verificou-se perfeita oclusão e presença de todos os dentes. "Os dentes têm função primordialmente mastigatória, e é importante exercitá-la. Dentes saudáveis estão preparados pra uma dieta com alimentos mais consistentes, mesmo dentes de leite", diz Ana Paula.



Comente:

Nenhum comentário