Implantes dentários estão cada vez mais acessíveis para a população






Ter um belo sorriso com dentes devidamente encaixados e claros não representa somente uma questão estética para a saúde bucal, mas a prioridade com certeza é a questão funcional. Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.

"A estética fica apenas como complemento do processo de implante. Nós como dentistas nos preocupamos mais com a questão funcional como a mastigação, a oclusão – a boa mastigação ajuda na digestão do alimento evitando assim problemas estomacais como azia e gastrite ou questões mais sérias como úlceras e hemorragias. As pessoas se preocupam muito mais com a estética e isso é somente uma consequência. A partir do momento que você trata a parte funcional, automaticamente você já está tratando também a parte da estética. E temos toda uma preocupação com os pontos de colocação dessas próteses. Primeiramente se coloca um pino sobre o osso que depois, requer um período de cicatrização - adaptação do pino ao osso. Geralmente esse período varia de 4 a 6 meses antes de colocar o dente definitivo."

Alguns anos atrás a implantodontia era considerada um processo cirúrgico elitizado. Com avanço de estudos e qualificação de profissionais, o Brasil é um país referência no mundo em implantodontia. O material que é utilizado para realizar implantes dentários também era importado e agora já são industrializados no País – o que também tornou acessível esse tipo de tratamento para pessoas de qualquer classe social. "Se não somos o melhor, somos um dos melhores do mundo em produtos odontológicos. Tanto é que eu já tive pacientes que vinham da Europa para se tratar comigo aqui no Brasil. A nossa odontologia é muito respeitada no mundo todo e com tudo isso, baixou o custo do serviço e chegou a todas as classes sociais".

Existem pré-requisitos para se implantar dentes. "Não é um processo simples também, existe um pré diagnóstico do paciente, analisar suasaúde sistêmica, sem tem qualidade óssea. Porque muitas vezes a pessoa ficou muito tempo sem tratar da boca, ou houve uma extração de forma irregular que danificou o osso e aí é necessário fazer um enxerto – um tratamento que dura 12 a 14 meses. Então hoje nós temos vários recursos, a odontologia está muito avançada, ou em nível clínico ou hospitalar.

Resende ainda diz que muitas pessoas não procuram um implantodontista por temer sofrimentos com as dores. "Isso não existe. Todos esses processos são feitos com anestesia, não há sofrimento nenhum. Além disso, existe uma medicação pré e pós operatória, ou seja, o paciente fica livre de dores. Claro, tudo isso se o paciente seguir corretamente as recomendações do dentista. O índice de sucesso do implante em todo o mundo é de 95%. O que envolve esse 5% é o tabaco e doenças sistêmicas como o diabetes, por exemplo. E ainda, tem gente que depois de todo o processo de cirurgia de implante insiste em não realizar novamente uma higienização adequada – tendo que muitas vezes, ter que realizar novos implantes".

Prevenção
Que a odontologia está avançada e que recursos de implantes está cada vez mais acessível a população, isso já é um fato concreto. Mas, o melhor tratamento ainda é a prevenção. "Anteriormente a odontologia trabalhava de forma curativa, hoje mudamos e trabalhamos com o sistema preventivo. Manter uma boa escovação após cada refeição, evitar o tabaco, passar o fio dental diariamente, ir ao dentista regularmente pelo menos de 6 em 6 meses para remover tártaros e checar se não há cáries, enfim, essa prevenção é essencial para evitar danos futuros. Não é nada agradável perder um dente, sofrer com dores de gengiva, então prevenir sempre será a melhor forma de garantir os dentes naturais".
 
Ainda segundo Resende, mesmo que as pessoas tenham bons cuidados com a saúde bucal e utilizam em casa materiais específicos para a higienização dos dentes, ainda é assim é recomendável ir ao dentista de 6 em 6 meses. "Muitas vezes a escova não chega em alguns cantos dos dentes, ou ao passar o fio dental ocorre cortes e machuca a gengiva – o que pode levar a sangramentos e infeccionar, causando mau-hálito e aftas. Então mesmo que a pessoa seja asseada, é sempre importante frequentar regularmente um dentista".

Outro ponto importante é a questão da autoestima. A falha de um elemento dentário muitas vezes gera na pessoa uma timidez, um acanhamento que a impede de sorrir, de procurar um emprego, de se socializar e que pode levar a doenças psíquicas como a depressão. "A partir do momento que paciente façareabilita oral, ele consegue resgatar uma segurança consigo mesmo e assim, um mundo de novas oportunidades se abre para ele", conclui.


Comente:

Nenhum comentário