Ortodontia preventina infantil




Muitas crianças e adolescentes que possuem dentes desalinhados (má oclusão) apresentam este quadro devido à variabilidade do crescimento e desenvolvimento das estruturas dentárias e craniofaciais. A má oclusão é qualquer desvio do padrão normal, no qual os dentes da mandíbula se ajustam aos dentes da maxila.

Mas, por favor, não tente diagnosticá-la por conta própria. Se você achar que o seu filho tem algum problema, aconselhe-se com um profissional da área, como um odontopediatra ou ortodontista, pois eles possuem o conhecimento especializado em desenvolvimento facial e dentário.

Etiologias (causas) da má-oclusão:

Hereditariedade
Causas de desenvolvimento de origem desconhecida. ex: ausência de músculos, fissuras faciais, micrognatia, oligodontia e anodontia.
Traumatismo / pré- natal pós-natal (traumatismos dos dentes decíduos e maxilares)
Agentes físicos. ex: extração prematura dos dentes decíduos
Hábitos: sucção do polegar e outros dedos; morder os lábios; uso prolongado da chupeta; onicofagias (roer unhas); deglutição atípica; e postura.
Enfermidades / sistêmicas (neuropatias, distúrbios neuromusculares) endó- crinas locais (nasofaríngeas e função respiratória perturbada. ex: síndrome da respiração bucal.)

A terapêutica ortodôntica é dirigida para a oclusão anormal dos dentes, para o crescimento do complexo ósseo craniofacial e para a função da neuromusculatura bucofacial.

As principais situações que podem surgir devido à má oclusão são:

Mastigação debilitada;
Estética facial desagradável;
Disfunção da ATM (Articulação Temporo-Mandibular);
Susceptibilidade à enfermidade Temporo-Mandibular;
Susceptibilidade à enfermidade periodontal;
Susceptibilidade à cárie;
Dicção prejudicada devido à má posição dos dentes.

Quando a criança ainda está em fase de crescimento (fase de dentição mista), o uso de aparelhos ortodônticos preventivos poderá colocar os dentes numa posição mais favorável, proporcionando ao paciente uma melhor estética, uma função oclusal mais adequada e uma melhor saúde bucal.

Porém, a necessidade e o período mais adequado para a colocação destes aparelhos devem ser avaliados e orientados pelo odontopediatra, profissional habilitado a acompanhar todo o desenvolvimento da oclusão das crianças, desde os dentes de leite que nascem e caem até os permanentes que aparecem na boca.

Assim, alcançar a oclusão normal da criança é papel do Odontopediatra e reconquistar a oclusão normal é trabalho do Ortodontista.

A ortodontia preventiva, com bom diagnóstico e bem orientada, praticada na fase de crescimento da criança, evita, na maioria das vezes, que mais tarde o paciente venha a necessitar de ortodontia fixa. Para os que vierem a precisar, o tempo do tratamento será reduzido.

É importante que os pais fiquem atentos, estejam familiarizados com a boca do seu filho e tenham contato com os dentes dele, para verificar se os dentes de leite permanecem por mais tempo do que deveriam. Porque quando isto acontece, os dentes permanentes não podem nascer nos seus devidos lugares e se acomodarão nos espaços laterais, o que pode provocar más oclusões.

Quando um dente “nasce”, ele não sabe para onde deve ir. Ele seguirá o caminho que oferecer menor resistência e responderá ao ambiente ao seu redor. Entre os fatores ambientais mais importantes estão os hábitos musculares, como empurrar a língua contra os dentes superiores em cada ato da deglutição, morder o lábio inferior, chupar o dedo, e o uso inadequado da chupeta.

Mantenha-se atento à boca do seu filho. Se isto ocorrer, consulte um odontopediatra.

Comente:

Nenhum comentário