Cárie Dentária: Constitui-se o Açúcar o Principal Vilão?




Estudos realizados nos últimos anos confirmaram a estreita correlação entre os hábitos alimentares e o desenvolvimento de lesões de cárie, ou seja, a dieta é um dos fatores envolvidos na etiologia da cárie dentária. A dieta compreende tudo aquilo que é ingerido pelo indivíduo, independente do seu valor nutricional. Portanto, os fatores dietéticos exercem influência direta/local sobre os dentes.

Dessa forma, quando falamos em prevenção em Odontologia, não nos referimos apenas a uma escovação correta. A prevenção em saúde bucal compreende um conjunto de medidas (hábitos alimentares adequados, higiene bucal correta, uso racional de flúor/selantes, consultas periódicas ao dentista, etc) que, quando utilizadas corretamente, possibilitam a prevenção das doenças bucais. E, nesse aspecto, o odontopediatra desempenha importante papel, em virtude de atender crianças da mais tenra idade.

Sabe-se que os hábitos alimentares e de higiene bucal são estabelecidos na infância. Portanto, se a criança adquire hábitos alimentares e de higiene saudáveis desde cedo, maiores as possibilidades de, ao alcançar a vida adulta, gozar de uma saúde perfeita.

É da natureza humana utilizar os alimentos como meio de transmissão de afeto, de carinho. Quem de nós nunca presenteou um ente querido com uma caixa de doces/chocolates? E por que? Porque estamos habituados, culturalmente, a associarmos afetividade a alimentos adocicados. Da mesma forma que, ao adoecermos, a dieta a ser adotada consistirá, basicamente, de verduras, frutas e legumes, uma vez que estes alimentos, quando consumidos adequadamente, são referências para o bem-estar geral.

Os carboidratos são os componentes da dieta que mais contribuem para o risco de cárie. Segundo dados recentes, o consumo médio de açúcar estimado no Brasil é de 132 gramas pessoa/dia. Países como EUA e Portugal apresentam um consumo médio de 87 e 84 gramas pessoa/dia, respectivamente.

Na dieta familiar, o açúcar mais presente é a sacarose refinada, a qual é encontrada em produtos como balas, chocolates, refrigerantes, sucos industrializados, bolos, etc. Essa sacarose é introduzida precocemente na alimentação da criança, através da adição do açúcar ou mel à mamadeira (leite, sucos, mingaus, vitaminas, etc.). Este fato, aliado à má higiene bucal, poderá levar ao desenvolvimento de lesões de cárie.

Claro que não devemos crucificar o açúcar como o único causador da cárie dentária. É bom lembrar que, consumido corretamente e em quantidade adequada, constitui-se em uma fonte de energia para o organismo. Faz-se necessário, sim, utilizá-lo de forma racional.

Portanto, um importante fator na prevenção da cárie dentária é a diminuição do consumo do açúcar associado a hábitos de higiene saudáveis e a uma alimentação correta. Conseqüentemente, o aconselhamento dietético, visando alterações no padrão alimentar, constitui-se em fator fundamental na prevenção e tratamento da cárie dentária.

Matéria publicada em www.whybenormal.com.br

Comente:

Nenhum comentário