10 formas de prevenir doenças bucais durante a gravidez






O período da gestação é muito especial, mas alguns cuidados são necessários para garantir que tudo ocorra de forma tranquila. De acordo com Marcia Amar, especialista e mestre em odontopediatria, da Inphloral Higiene Bucal Infantil, a saúde bucal da futura mamãe e do bebê dependem da prevenção de infecções e doenças. Confira as dicas da especialista:

1. Cuidados bucais próprios
A gestação é um período cheio demudanças para a mulher. Não deixe de realizar a higiene bucal fazendo uma adequada escovação dental, uso de fio dental e enxaguantes indicados para esta fase. A saúde bucal da gestante esta diretamente relacionada à saúde do bebê.

2. Gengivite!        Perigo!
Durante a gravidez pode ocorrer a chamada Gengivite Gravídica, inflamação exacerbada dos tecidos gengivais que envolvem os dentes, gerando intensos sangramentos, às vezes até de forma espontânea. Se isso acontecer, vá ao dentista para ser tratada e abuse da higiene bucal. Estudos comprovam que infecções crônicas podem levar a ocorrência de nascimento  pré-maturo do bebê!

3. Visite seu dentista
Na gravidez, não deixe de ir às consultas periódicas com seu dentista. Neste momento é importante tratar focos de infecção, que podem ocorrer por desenvolvimento de cárie ou doenças de gengiva.

4. Laser Odontológico
Já existem aparelhos de laser desenvolvidos para uso odontológico que podem ser utilizados em gestantes para a melhora da condição bucal. Com a aplicação do laser entre a gengiva e o dentes, é possível remover os focos bacterianos e prevenir o aparecimento de doenças indesejáveis, principalmente nesta fase.

5. Alimentação
Faça uma alimentação equilibrada e bem nutritiva. Evite ficar "beliscando". Desta forma, poderá reduzir as chances de contrair doenças bucais, além de garantir a boa formação dos dentes do bebê.

6. Açúcar! Cuidado!
Quanto mais frequente a ingestão de açúcar na gestação, maior o risco  da mãe desenvolver cárie  e gengivite. Mesmo porque, a partir do quarto mês de gestação, o bebê inicia a fase do desenvolvimento  do paladar. Pesquisas realizadas, citam que    quanto maior a frequência da ingestão de açúcar pela mãe, durante a gravidez, maior será o estimulo ao doce  ao bebê e, desta forma, mais tarde, estas crianças terão mais vontade de ingerir alimentos açucarados em sua dieta.

7. Amamentação
Amamentar nem sempre é fácil e natural. Algumas gestantes precisam se preparar para esta etapa antes do nascimento do bebê. Podem ter o bico do peito invertido ou não tão desenvolvido para  realização desta tarefa. Fale com eu médico. Existem também profissionais especializadas em fazer  o preparo necessário para o sucesso desta etapa.        

8. Transmissão de doenças
A cárie e as doenças da gengiva são transmissíveis. Podem passar de mãe para filho. Como? O simples fato de assoprar alimentos já é uma fonte enorme de transmissão das bactérias responsáveis por estas doenças e muitas outras! Não sopre alimentos, não use os mesmos talheres e copos         dados ao bebê e não o beije  na boca. Assim, o risco de transmissão de bactérias ao bebê pode ser reduzido, ao manter o equilíbrio bucal e sistêmico.

9. Consulte o odontopediatra
A prevenção de doenças dentárias ao bebê tem início na gestação. "Procure um odontopediatra  que faça atendimento a bebês. Ele deve dar orientação  precoce a gestante, informar quanto aos cuidados a serem adotados por ela na gravidez e para o bebê, após o seu nascimento", recomenda.

10. Higiene bucal do bebê
Os cuidados com a higiene bucal do bebê são fundamentais. "Existem no mercado produtos especialmente para promover a higiene bucal do bebê após a mamada, quando ele regurgitar e antes dele dormir. Vale lembrar que o produto deve  ser livre de flúor e podem ser ingeridos sem provocar intoxicação ao bebê. Já ponha este item na lista de compras do bebê para iniciar este hábito desde o inicio da vida dele", finaliza.

 *Agradecimentos à Marcia Amar, especialista e mestre em odontopediatria, da Inphloral Higiene Bucal Infantil.



Comente:

Nenhum comentário