Mais de 50% das crianças de cinco anos têm cárie no Brasil





Dados do Ministério da Saúde mostram que mais de 53% das crianças com cinco anos de idade já tiveram cárie. A Associação Brasileira de Odontologia (ABO), com base em informações do Ministério, alerta que as crianças nessa idade já têm, em média, mais de duas cáries nos dentes de leite.  

A Associação afirma que o índice é baixo quando comparado a dados anteriores. No entanto, ainda são números muito altos para o nível de informação disponível hoje em dia. Eles recomendam que as mães façam um pré-natal odontológico, ou seja, consultem o dentista antes mesmo do nascimento do bebê, para que possam ser orientadas sobre os cuidados com a própria saúde bucal e da criança.

Também é aconselhável que os pais levem a criança a uma consulta odontológica logo nos primeiros meses de vida, a fim de que o profissional possa orientá-los sobre como fazer a higiene bucal. A Associação ainda destaca a importância de um profissional acompanhar o nascimento dos primeiros dentes e os hábitos de higiene que estão sendo seguidos pela mãe.

Cuidados para prevenir as cáries nos dentes de leite

Perder os dentes de leite por causa de cárie, de acordo com os especialistas, pode comprometer todo o desenvolvimento da boca da criança. "Se há troca de dentição muito cedo, os dentes permanentes podem ter dificuldade para sair da gengiva, nascer tortos e ainda prejudicar a mordida", afirma o odontologista Luiz Akaki, da AKAKI Odontologia, em São Paulo. Para que isso não aconteça, o papel dos adultos é fundamental.

Passe uma gaze na gengiva

Enquanto os primeiros dentes não nascem, a escova é desnecessária. Mas a higiene deve ser feita: a mãe deve colocar uma gaze levemente umedecida com água mineral no dedo indicados e limpar, suavemente, a gengiva do bebê - esfregue com cuidado, porque essa região é sensível e o bebê pode sentir cócegas.

Quando usar escova?

No bebê, o ideal é usar a escovinha dental que os pais encaixam no dedo, que é pequena e molinha. "Quando a criança começa a falar e cria mais habilidade com as mãos, já é possível estimular que ela use a escova sozinha e se acostume com o hábito de higienizar os dentes após as refeições", afirma Akaki.

Fio dental e enxaguante bucal

O uso frequente de fio dental é mais necessário quando a criança tem o seu primeiro molar permanente, ou seja, por volta dos seis anos de idade. "Antes disso, ele pode ser dispensado, pois os dentes possuem espaços maiores entre eles e a escovação dá conta da limpeza", conta Luiz Akaki. Já o uso de antisséptico bucal pode ser benéfico quando o produto tiver flúor, ajudando no controle da placa bacteriana - mas ele só deve fazer parte da higiene bucal quando seu filho aprender a cuspir.

Creme dental

"Os cremes com muita menta podem irritar a mucosa e gerar um desconforto, fazendo até com que a criança tenha um trauma de escovar os dentes", afirma Luiz Akaki. Por isso, prefira opções de produtos com gostos mais adocicados, mas prestando a devida atenção para a criança não criar o hábito de engolir a pasta.

A escovação mais importante do dia

É consenso entre os odontologistas: a escovação antes de dormir é a que precisa de mais atenção, pois a boca fica mais vulnerável ao aparecimento de cáries. "Durante o sono, há uma baixa na produção de saliva e quase não há a ação mecânica da língua, o que deixa o pH da boca menos saudável", explica o cirurgião dentista Mario Groisman, da Academia Brasileira de Odontologia.

Cuidado com o hábito de beliscar comida

Evite permitir que o seu filho fique beliscando alimentos a todo o momento, mesmo que sejam opções sem açúcar. Isso provoca o aumento da placa bacteriana, formação de cor amarela ao redor dos dentes.



Comente:

Nenhum comentário