Cinco motivos mais comuns que levam as pessoas ao ortodontista




Com o passar dos anos, venho observando e enumerando os motivos que levam o paciente a procurar um dentista. Neste artigo, pretendo mostrar para os leitores quais são os cinco maiores motivos, com a descrição popular, que fazem as pessoas irem ao consultório. Além disso, também darei uma explicação científica para o problema a apontarei a solução para cada um deles.

5- Sou bicudo (Tenho dentes para fora e queixo para trás)

Ser bicudo, na tradução ortodôntica significa paciente portador de protrusão de maxila e ou retrusão de mandíbula. Para correção do quadro dependemos inicialmente da idade óssea do paciente. Pacientes em crescimento podem usar aparelhos ortopédicos para corrigir a posição e o tamanho dos ossos e melhorar o perfil facial dos tecidos moles da face. Uma vez terminado o crescimento a posição dos ossos só pode ser alterada por meio de cirurgia. Caso o paciente não queira se submeter ao procedimento cirúrgico, o ortodontista "mascara" o problema através de movimentação dos dentes, tornando a face e o sorriso visualmente agradáveis.  

4- Tenho espaços entre meus dentes

Tenho espaço entre os dentes na linguagem ortodôntica significa diastemas . Antes de qualquer tratamento, precisamos avaliar a causa do espaço . O recurso de eleição é o tratamento ortodôntico com aparelho fixo, entretanto dependendo da causa e do momento da vida do paciente, podemos fechar o espaço com resina que resolverá o problema de forma mais rápida.

3- Os meus dentes não combinam com meu rosto

Normalmente quando o paciente fala "os meus dentes não combinam com o meu rosto" a culpa é da genética, pois herdamos o tamanho dos dentes do pai e o tamanho da arcada da mãe ou vice versa. O resultado final tende a uma incompatibilidade que necessita de alguns reparos. Em outros casos a genética foi generosa, entretanto a introdução de hábitos como chupar dedo, roer unhas ou respirar pela boca, bagunçou aquilo que tinha tudo para ser perfeito.

Nestes casos de incompatibilidade herdada ou adquirida, o ortodontista entra novamente em ação corrigindo através de vários recursos disponíveis o que esta errado.

2- Os meus dentes são manchados e tenho vergonha de sorrir

As manchas se dividem basicamente em dois grandes grupos. As extrínsecas e intrínsecas. As primeiras são as mais comuns e são causadas por chá, café, chocolate, vinho tinto, refrigerantes e outros corantes presentes, por exemplo no molho de tomate,no açafrão, na beterraba;, no caso dos fumantes por nicotina e alcatrão e por alguns antissépticos bucais com clorexidina. As intrínsecas por sua vez ocorrem no interior dos dentes e podem ser originadas por inúmeros fatores como idade( com o envelhecimento os dentes se tornam mais escuros), hereditariedade, medicações como o flúor (que em excesso leva a fluorose que se manifesta como manchas acastanhadas nos dentes)e como a tetraciclina (que é um antibiótico), malformações do tecido dental, traumatismos (por derramamento de sangue nos túbulos dentinarios) e dente com canal tratado.

Para resolver o problema podemos eliminar a maioria das manchas extrínsecas apenas com um simples polimento que é, uma das etapas da limpeza feita em consultório. As manchas extrínsecas, que são mais persistentes e as intrínsecas, podem ser removidas por meio de clareamento dental, (assunto vasto que merece um próximo artigo só para falar dele).

Por enquanto é importante saber que existem dois tipos: o caseiro feito, com moldeiras, e o profissional, que é realizado no consultório. Ambos são eficazes, porém, cada paciente e cada mancha respondem de uma maneira distinta ao clareamento. Se caso as manchas persistirem, a saída é apelar para outros recursos da odontologia estética, como facetas de porcelana ou resina. 

1- Os meus dentes são encavalados, tenho problemas gengivais e não consigo passar fio dental

O campeão de reclamações sem dúvida alguma é o apinhamento, que é a falta de espaço para o correto alinhamento dos dentes nas suas respectivas bases ósseas. Falando com linguagem mais simples, é quando há muito dente para pouca boca. Até mesmo quem nunca teve problemas ortodônticos, nem usou aparelho, pode se surpreender com este problema. Ele pode ocorrer por volta dos 30 anos de idade, devido a um crescimento tardio, programado e natural da mandíbula, que se prepara para receber os dentes do siso, mesmo em casos onde estes não existam. A mandíbula cresce milímetros, os dentes não conseguem acompanhar este crescimento e encavalam. Para resolvê-lo o melhor método é o tratamento ortodôntico, os recursos disponíveis são variados e dependem da gravidade do apinhamento. Quando este for leve pode ser resolvido com desgastes e recontornos dos dentes envolvidos. 



Comente:

Nenhum comentário