Visita ao ortodontista: saiba a idade ideal para consultá-lo




A Ortodontia é a especialidade da Odontologia que corrige o mau posicionamento dos dentes. O tratamento ortodôntico, além de corrigir dentes tortos, pode melhorar a saúde dental e outras funções inerentes ao sistema mastigatório como a mastigação, fala e deglutição com um menor risco de desenvolvimento de doenças como desordens da articulação temporomandibular (ruídos e limitações de abertura e dores de cabeça e na face de origem muscular), que também podem se manisfestar em crianças e adolescentes. Outra grande vantagem é que também pode ajudar a melhorar a aparência facial do paciente, aumentado sua autoestima.

Muitos pais sabem da importância de levar seus filhos ao médico pediatra e também a um(a) odontopediatra desde bebês. Entretanto, não sabem ao certo o melhor momento para visita ao odontólogo especialista em ortodontia, o ortodontista. Tal fato é muito frequentemente visto no consultório. 

Existem pais extremamente preocupados com os filhos e que os trazem para uma consulta de avaliação ortodôntica aos 3 anos de idade, outros quando todos os dentes de leite caíram e até aqueles que não têm esta preocupação e nunca os levaram para referida análise pelo profissional.

É muito rotineiro aparecer pacientes com 60-70 anos para primeira avaliação ortodôntica, indicados pelos colegas de outras especialidades como prótese, implante e periodontia. Entretanto, felizmente, a atual geração de crianças e adolescentes com certeza será avaliada ainda durante a infância e adolescência, devido a um grande número de fontes geradoras de informações, como, por exemplo, a internet, a melhora do padrão de vida da população e o aumento significativo da quantidade e qualidade dos dentistas.

Afinal, qual seria a idade ideal para a primeira visita ao ortodontista? Não existe uma idade ideal para início de um tratamento ortodôntico e sim o momento mais oportuno. É recomendável a primeira avaliação ortodôntica na faixa dos 6 anos de idade, onde começam a nascer os primeiros dentes permanentes. Existem casos onde há a presença de grandes discrepâncias ósseas, onde o especialista em odontopediatria irá indicar uma avaliação antes dessa idade.

Os principais problemas encontrados nesta faixa etária são: falta de espaço para correta acomodação de dentes permanentes; dentes encavalados; dentes fora de posição; mordidas cruzadas; mordida profunda; mordida aberta; perda precoce ou retenção prolongada dos dentes de leite; respiração bucal; hábitos de sucção (dedo ou chupeta); diastemas (espaços entre os dentes); dificuldade na mastigação; articulações que emitem ruídos e falta de proporção entre os maxilares (queixo grande, mandíbula para trás, etc).

Para crianças que necessitam de intervenção ortodôntica nesta idade, pode-se citar alguns benefícios como: diminuir as chances de ocorrer a impacção de dentes permanentes (dentes que não conseguiram nascer); evitar desenvolvimento de maloclusões como mordida cruzada, aberta e/ou profunda; guiar o crescimento do complexo maxilo-mandibular com a ajuda de aparelhos ortopédicos funcionais; guiar o nascimento dos dentes permanentes para a posição correta; corrigir hábitos bucais danosos (como chupar dedo e chupeta); reduzir ou eliminar problemas de deglutição anormal e de fala; diminuir o risco de traumas dentário nos dentes incisivos superiores (pela melhora da inclinação dos mesmos); manter ou recuperar espaço para o nascimento dos dentes permanentes; melhorar a aparência e a autoestima; simplificar e/ou diminuir o tempo de tratamento do tratamento ortodôntico corretivo posterior; além de ser uma idade onde encontra-se muita colaboração dos pacientes em relação ao uso de aparelhos removíveis.

Sabendo de todos estes benefícios relatados sobre a intervenção ortodôntica na hora certa, o que está esperando para fazer uma avaliação de seu filho com um especialista?

Procure seu Ortodontista! 

Fonte: Minha Vida - MSN


Comente:

Nenhum comentário