Cuidados com a boca em todas as idades




É claro que para chegar a melhor idade com dentes perfeitos é preciso ter tido alguns cuidados durante a vida inteira - desde quando começam a nascer os primeiros dentinhos. Entre os principais cuidados, estão seguir uma dieta com pouca incidência de açúcar, escovar o dentes após as refeições, usar fio-dental e enxaguatório bucal e - claro! - visitas regulares ao dentista.Esses cuidados básicos devem ser priorizados na adolescência e pré-adolescência, época em que a pessoa tem dentição mista (dentes de leite e dentes permanentes) e moldará os hábitos alimentares e saudáveis. Se o adolescente crescer seguindo corretamente os cuidados com sua higiene bucal, dificilmente irá chegar na idade adulta com algum problema grave nos dentes e gengivas. Confira a seguir o que fazer para ter um sorriso bonito (e saudável) durante toda vida adulta.

dos 20 aos 30 anos
prevenir é o lema

Se você se cuidou corretamente durante a infância, adolescência e início da idade adulta, excelente! Agora, você pode se ocupar apenas com a manutenção do seu sorriso. Agora, se você não era muito amigo da escova e do dentista, é nessa época em que começam a aparecer os desgastes nos seus dentes. Segundo a Organização Mundial da Saúde, 8,2% dos brasileiros de 35 a 49 anos não têm dentição completa. Assim como na década anterior, a procura por tratamentos da odontologia estética continuam e o estresse, muito comum nessa idade, pode gerar vários problemas odontológicos como os estalos e dores típicas da ATM (neste caso, procure rapidamente seu dentista). Nos casos de perda precoce dos dentes ou desgaste excessivo por abrasão é recomendável o uso de implantes e próteses sobre implantes. Por causa do consumo de alimentos como o café, refrigerantes e vinho é normal que ocorra o escurecimento dos dentes nessa fase. "A técnica correta deve ser sempre aquela acompanhada pelo cirurgião-dentista, podendo ser a laser ou pelo método caseiro-profissional, com o material adequado para tal, como por exemplo o peróxido de hidrogênio", explica a implantodontista Prof. Dra. Renata Dias Rezende, da clínica RM Odontologia (SP).

dos 31 aos 50 anos
foco na gengiva

A partir dos 20 anos, o índice de cárie normalmente cai e começam os problemas periodontais. A maioria dos pacientes nessa idade relaxa um pouco na prevenção, podendo levar a problemas mais graves como tratamento de canal, restaurações, próteses e até implantes. "Nessa fase os pacientes começam a se preocupar em ter um sorriso bonito e atraente e procuram por alguns tratamentos da odontologia estética, entre eles a troca de restaurações metálicas por restaurações de resina, as facetas laminadas e os clareamentos", afirma o implantodontista.

É nessa etapa da vida que muitas mulheres engravidam, por isso é preciso aumentar os cuidados para evitar cáries e problemas ortodônticos. "Esta prevenção pode começar através de uma dieta à base de verduras, legumes, frutas, cereais, carnes magras, leite e seus derivados durante a gravidez. Não podemos esquecer que os dentes do futuro bebê começam a se formar já na sexta semana de gravidez e as atitudes preventivas que a mãe tiver poderão influenciar na saúde do seu filho. Outro item importante é a amamentação, que além da importãncia afetiva e nutricional ajudará no desenvolvimento dos músculos e ossos do bebê e no correto posicionamento dos dentes", aconselha o cirurgião-dentista Nelson Dall´Oca (SP).

A partir dos 51anos
terceiraA dentição

Atualmente, há muitas formas de reabilitar o paciente com as próteses sobre implantes. "Quando o paciente perdeu um ou mais dentes indicamos o implante dentário para devolver a autoestima, a estética e outros benefícios. O retorno da função mastigatória causa também uma melhora na relação entre as arcadas dentárias, na articulação temporo-mandibular e na musculatura facial, trazendo até uma aparência mais rejuvenescida, devolvendo o equilíbrio a todo este sistema", explica a implantodontista Profa. Dra. Renata Dias Rezende (SP). Também é importante saber que a partir dos 55 anos, o fluxo salivar diminui consideravelmente e como a saliva é um autolimpante natural, sua ausência favorece a formação de placas bacterianas e causa mau hálito, ou seja, mantenha o hábito saudável de ingerir dois litros de água diariamente. Autores especializados em odontologia geriátrica dizem que a partir desta idade começam a surgir problemas como: atrição dentária, atrofia dos ossos dos maxilares, alterações da mucosa oral, alterações nas articulações, na flora microbiana oral, na quantidade e composição da saliva com as mudanças hormonais, e na incidência de neoplasias (câncer), por isso não abra mão da visita semestral ao seu dentista.


Cuidados especiais da infância à adolescência

> A higiene oral já começa nos primeiros meses de vida quando é aconselhável limpar as gengivas do bebê com uma gaze ou fralda umedecida em água. A chupeta também merece atenção: o ideal é que a criança não a use, mas, quando inevitável, deve ter o bico ortodôntico.
> Assim que os primeiros dentinhos aparecem é hora de marcar uma consulta com um profissional que orientará a respeito da cárie, da alimentação e da limpeza correta dos dentes. "Durante a primeira dentição a criança deverá ter seus dentes escovados por um responsável com uma escova macia e apropriada à idade e deverá ser utilizado creme dental sem flúor" explica o cirurgião-dentista Nelson Dall´Oca.
> A partir dos seis anos os dentes de leite começam a ser trocados pelos permanentes. Os cuidados com eles na adolescência são a garantia de dentes fortes e bonitos para toda a vida. É importante investir na profilaxia, na aplicação de flúor e na ortodontia (caso precise corrigir a posição dos dentes ou mordida).

Comente:

Nenhum comentário