Bauru desenvolve técnica para usar cimento na odontologia





Pesquisa inédita no mundo será apresentada amanhã


Um estudo inédito na Odontologia mundial, desenvolvido pela USP (Universidade de São Paulo) de Bauru, comprova que o cimento Portland, largamente utilizado na construção civil, pode revolucionar o tratamento endodôntico (tratamento de canal).

Com vantagens que vão do financeiro ao terapêutico, o cimento mostrou-se eficaz no tratamento da polpa dentária (nervo) em crianças com dentes de leite. De acordo com os resultados obtidos, este velho conhecido dos pedreiros está habilitado a substituir os dois principais produtos existentes no mercado para esta finalidade: formocresol e o MTA (agregado trióxido mineral).

A vantagem com relação ao primeiro, é que o cimento é biologicamente compatível com os tecidos dentários e com o segundo, é o preço: o MTA custa 7 mil % a mais. Outros estudos sugerem que o cimento também pode ser utilizado em dentes permanentes.

A pesquisadora Ana Paula Camolese Fornetti (Autora) e o professor. dr. Ruy Cesar Camargo Abdo (Orientador) apresentarão o projeto amanhã às 9h30 no Departamento de Odontopediatria da USP.


Comente:

Nenhum comentário